História dos Fundadores

Breve História dos Padres Cavanis e da fundação da Província Antônio e Marcos Cavanis no Brasil.

Os irmãos Antônio Ângelo Cavanis e Marcos Antônio Cavanis tinham gênios diferentes, mas, desde criança, foram sempre unidos. Antônio, o mais velho, nasceu em Veneza a 16 de janeiro de 1772. Veio ao mundo no momento em que na cidade os sinos repicavam festivamente, em meio ao pipocar de foguetes, como que festejassem o nascimento deste menino dócil e meigo, que veio servir ao Senhor.

A 19 de maio de 1774 nasceu o seu irmão Marcos. A diferença de idade entre os dois é pequena, mas em temperamento é muito grande: Marcos, desde pequeno, mostrou-se cheio de vivacidade e de iniciativa.

Ambos freqüentemente acompanhavam seu pai que, pelos canais de Veneza, visitava os mais pobres e ofereciam-lhes donativos. E assim foram crescendo num ambiente saudável e familiar.

Com a queda da República Veneziana (1797), houve conseqüências desastrosas: no prazo de aproximadamente nove anos se revezaram quatro governos; a cidade se tomou terra de conquista e, quem sofreu as conseqüências, foi o povo e a juventude.

Antônio, que até então era secretário da República de Veneza, decide abandonar este trabalho para se tornar sacerdote, dedicando-se ao serviço do Reino. Sendo assim, Marcos assume o encargo de secretário, deixado por seu irmão.

Em 1802, os Cavanis iniciaram, com um movimento mariano - início do apostolado dos dois irmãos - uma experiência de formação humana e cristã em prol das crianças e jovens pobres de Veneza. Em 1804 nasceu a primeira Escola de Caridade Cavanis, com um professor e 15 alunos. Desta maneira, os irmãos anteciparam a fundação das escolas públicas por parte do Estado e iniciaram uma obra de saneamento social e espiritual.

Eles sempre começavam por onde a necessidade era mais urgente. Marcos, disposto a dedicar-se completamente ao apostolado, decide tornar-se padre (abandonando assim seu cargo privilegiado de secretário). Posteriormente, os dois irmãos fundaram a Congregação das Escolas de Caridade, reconhecida pela Igreja como manifestação do Espírito Santo em 1838, pelo Papa Gregório XVI.

Cavanis no Brasil

A Congregação das Escolas de Caridade – Instituto Cavanis, representado na pessoa de seu superior geral, fez sua primeira viagem de visita e contatos com dioceses brasileiras no período de 26 de março a 31 de abril de 1968. Fora escolhida a cidade de Castro no Paraná, para instalar-se a primeira comunidade Cavanis no país, sendo os Padres Lívio Donati, Mário Merotto e Francisco Giusti os pioneiros.

Pe Biasio, recorda uma passagem interessante do dia da partida na Itália:O Pe. Lívio respondia as palavras do Cardeal Patriarca e do Superior Geral, agradecendo a todos e dirigindo um pensamento particular aos meninos e jovens presentes.

Muitos tinham dito no entusiasmo da hora, Vamos também nós ao Brasil e um menino de Chioggia Feliz o senhor que poderá ver os tubarões durante a travessia, e o Pe. Lívio comenta: Sim, os tubarões do Brasil que são o grande desequilíbrio entre ricos e pobres, a fome, as doenças e a falta de instrução escolar e lá nos seremos Cavanis, isto é, educadores, porque sabemos que a solução dos grandes problemas vem da escola. (Fonte: BIASIO, 1994, p. 35).

E em 28 de novembro de 1968, Padres Donati, Merotto e Giusti chegaram no Brasil na cidade de Castro no Estado do Paraná. Aqui Monsenhor Geraldo Pellanda, Bispo de Ponta Grossa, confiou o Colégio de Santa Cruz e uma chácara aos três primeiros religiosos Cavanis que chegaram em território brasileiro.

O edifício já antigo por exigência de melhor funcionamento foi transformado no ano de 1971 com a finalidade de acolher os primeiros 19 seminaristas e somente foi reconstruído como Seminário Cavanis em 1974 e ampliado em 1985.Progresso (PA) e Maringá (PR).

Pensamento dos Fundadores

Não adianta esperar por uma mudança da sociedade sem cuidar como convém das crianças e dos adolescentes. É preciso usar os meios aptos para conseguir o fim. Pe. Marcos Cavanis (1802).

[...] a nossa vocação é uma afronta ao capitalismo, é um incômodo para muitos da Igreja. Seremos gratuitos para com o próximo, como o Pai sempre é gratuito conosco [...] A nossa caridade não é intelectual, não é acadêmica, não é social, não é sentimental... a nossa caridade é sem retorno.” (Pe. Antonio e Pe Marcos Cavanis)
O doloroso abandono, pelo qual perece a maior parte da juventude porque se deixa perecer, dá um estímulo muito forte a quem ama a Deus e o seu próximo para fazer de boa vontade todo o esforço para eliminar, por quanto é possível, o descaso de muitos. (Pe Marcos Cavanis)

A quantidade de recursos necessários para ir ao encontro das crianças pobres tem que ser tão grande quanto as suas necessidades. (Pe Antonio e Pe Marcos Cavanis)

Por isso, mais do que uma escola, este instituto pode chamar-se um paterno e amoroso estabelecimento de caridade , onde os alunos, também fora do tempo dos exercícios escolares, são guardados e vigiados e reunidos até nos dias festivos e distraídos com recreios inocentes; alguns mais necessitados, são providenciados dos sustentamento diários, até que, adquirida a educação, possam com as suas virtuosas fadigas, procurar o seu mantimento. (Pe Marcos Cavanis – 1816)

Quando assumimos a difícil tarefa de educar um pobre rapaz pensamos ser um dever não poupar nem fadigas nem gastos para os quais fica claro o desinteresse ou incapacidade dos pais. (Pe. Marcos A. Cavanis, 1812)

É só ter um jovem necessitado e que precisa de educação para que tenha o direito de pertencer ao Instituto, e a quantia de socorros que procuramos fornecer a estes pobres filhos é tão variada e complexa quanto são múltiplas e variadas as suas necessidades. (Pe Marcos A Cavanis – 02 de junho de 1812)

Carisma e Espiritualidade Cavanis

Carisma Cavanis
Acolher com amor paterno crianças e jovens, educá-los gratuitamente, formá-los dia a dia na inteligência e na piedade de maneira que estes possam dar sua contribuição para o bem da sociedade.

Ministrar exercícios espirituais a jovens e adultos, para favorecer a revisão de vida e a conversão à Deus.

Espiritualidade Cavanis

A espiritualidade Cavanis consiste na busca e vivência intensa da face Paterna e Amorosa de Deus, impulsionando assim todo Cavanis a doar-se gratuitamente à juventude, com amor-paterno, pois a gratuidade e o amor vêm de Deus.

Nisto se solidifica a espiritualidade Cavanis: Só quem tem coração de pai descobre os pobres e os serve. O Pai vê e provê, promove e forma o adulto, sente o pobre como filho e não como objeto de estudo ou problema social.

A espiritualidade Cavanis encarna-se no mundo de hoje com a ousadia que é própria de João Paulo II: com novo ardor e novos métodos aponta rumos, desvenda valores, mostra referências de sentido e abre caminhos para Cristo Jesus.